Pons Medical Research

ANDROGÊNIOS:  Hormônios sexuais masculinos. Um andrologista é um especialista que trata problemas de esperma.

ANTICORPOS ANTIESPERA: Os anticorpos são produzidos pelo sistema imunológico para combater substâncias estranhas, como bactérias. Os anticorpos antiespermatozóides ligam-se aos espermatozoides e inibem seu movimento e capacidade de fertilizar os óvulos.

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL (IA): Colocar esperma na vagina, útero ou trompas de falópio por meios artificiais, geralmente injetados por meio de um cateter ou cânula após a lavagem do esperma. Este procedimento é usado para o esperma do doador e do marido. A inseminação intrauterina (IUI) aproxima o esperma do óvulo do que a inseminação vaginal ou cervical. Usado para contagens baixas de esperma, baixa motilidade espermática e quando a mulher tem muco cervical hostil.

INCORPORAÇÃO ASSISTIDA: Uma técnica pela qual um pequeno orifício é criado na zona pelúcida (casca do ovo) do embrião para facilitar a implantação do embrião no útero.

TECNOLOGIA DE REPRODUÇÃO ASSISTIDA (ART): Vários procedimentos empregados para gerar a concepção sem relação sexual, incluindo IUI, FIV e GIFT.

AZOOSPERMIA: Ausência de qualquer esperma no ejaculado.

TEMPERATURA CORPORAL BASAL (BBT): Sua temperatura corporal quando medida em seu ponto mais baixo, geralmente pela manhã, antes de sair da cama.

GRAVIDEZ BIOQUÍMICA: Aumento transitório e insustentável do hormônio da gravidez hCG (gonadotrofina coriônica humana).

BLASTOCISTO: Um embrião crescido em meio de cultura por cinco a seis dias.

CULTURA DE BLASTOCISTO: A prática de estender o crescimento in vitro do embrião até o quinto ou sexto dia.

GRAVIDEZ CLÍNICA: Um saco gestacional no útero é visualizado por ultrassom.

CITRATO DE CLOMIFENO: Uma droga de fertilidade que estimula a ovulação através da liberação de gonadotrofinas da glândula pituitária.

CORPO LÚTEO: Literalmente se traduz em corpo amarelo. Formado no folículo após a liberação de um óvulo. Produz progesterona, que faz com que o revestimento do útero (endométrio) fique mais espesso, permitindo que um óvulo fertilizado se enterre no útero. Uma deficiência na quantidade de progesterona produzida (ou no tempo em que ela é produzida) pelo corpo lúteo pode significar que o endométrio é incapaz de sustentar uma gravidez. Isso é chamado de defeito da fase lútea (LPD).

CRIOPRESERVAÇÃO: Um processo usado para preservar embriões ou esperma em nitrogênio líquido para armazenamento de curto ou longo prazo.

CANCELAMENTO DO CICLO: O ciclo de fertilização in vitro é cancelado após o início dos medicamentos para fertilidade, mas antes da recuperação do oócito.

DILATAÇÃO E CURETAGEM (D & C): uma operação que raspa o revestimento uterino.

CICLO DO OVO DA DOADORA: Um ciclo de fertilização in vitro no qual uma doadora (conhecida ou anônima) doa seus óvulos para serem fertilizados pelo esperma do marido ou do doador e os embriões resultantes são transferidos para o útero da paciente (receptora). Os ciclos de doação podem ser exclusivos para um destinatário ou compartilhados por dois destinatários.

BANCO DE OVOS DOADORES: Um local onde os óvulos vitrificados (congelados) dos doadores são armazenados para uso futuro pelos destinatários.

INSEMINAÇÃO DO DOADOR: Inseminação artificial com esperma de doador. (Ver INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL)

GRAVIDEZ ECTÓPICA: Gravidez fora do útero, geralmente na trompa de Falópio. Essa gravidez raramente pode ser sustentada e muitas vezes leva à diminuição ou perda total da função no tubo afetado. O metotrexato pode ser usado para dissolver a gravidez sem causar grandes danos ao tubo.

TRANSFERÊNCIA DE EMBRIÕES: Colocar um ovo fertilizado fora do útero no útero de uma mulher ou na trompa de Falópio.

BIÓPSIA ENDOMETRIAL: Um teste para verificar o defeito da fase lútea. Uma pequena amostra de tecido do útero é removida e analisada quanto à espessura adequada para determinar se os níveis hormonais apropriados estão sendo produzidos.

ENDOMETRIOSE: Doença na qual o revestimento uterino é encontrado fora do útero, geralmente nos ovários e nas trompas de falópio.

ENDOMÉTRIO: Termo médico para o revestimento do útero, que é formado para sustentar a gravidez e eliminado durante a menstruação se a gravidez não ocorrer.

ESTRADIOL: O principal estrogênio produzido pelo ovário. O exame de sangue para monitorar o estradiol é o E2 Rapid Assay. Mulheres em uso de gonadotrofinas ou outros medicamentos para fertilidade têm monitoramento rotineiro de E2.

ESTROGÊNIO: Hormônio sexual feminino.

TROMPAS DE FALÓPIO: Dutos através dos quais os ovos viajam para o útero, uma vez liberados do folículo. O esperma normalmente encontra o óvulo na trompa de falópio, o local onde geralmente ocorre a fertilização.

FIBROID (Mioma ou Leiomioma): Um tumor benigno do músculo do útero e tecido conjuntivo.

FIMBRIA: As projeções semelhantes a dedos no final da trompa de Falópio, mais próximas do ovário. Essas projeções capturam o óvulo conforme ele é liberado do folículo e o entregam nas trompas de Falópio.

FOLÍCULOS: Sacos cheios de líquido no ovário que contêm o óvulo liberado na ovulação.

HORMÔNIO FOLÍCULO-ESTIMULANTE (FSH): O hormônio que estimula o crescimento do folículo do óvulo em mulheres e a formação de esperma em homens.

FASE FOLICULAR: A porção pré-ovulatória do ciclo de uma mulher durante a qual um folículo cresce e altos níveis de estrogênio causam a proliferação do revestimento do útero. Normalmente leva entre 12 e 14 dias.

GAMETA: Uma célula reprodutiva: o esperma nos homens, o óvulo nas mulheres.

TRANSFERÊNCIA INTRAFALOPIANA DE GAMETAS (PRESENTE): Uma técnica pela qual óvulos e espermatozóides são colocados em um cateter e transferidos para a trompa de falópio para obter a fertilização.

GONADOTROPINAS: Hormônios que controlam a função reprodutiva: hormônio folículo estimulante (FSH) e hormônio luteinizante (LH).

HORMÔNIO LIBERADOR DE GONADOTROPINA (GnRH): O hormônio que controla a produção e liberação de gonadotrofinas.

TESTE DE HAMSTER (Também chamado de Ensaio de Penetração de Esperma, SPA): Um teste de diagnóstico da capacidade do esperma humano de penetrar em um óvulo de hamster que foi despojado da zona pelúcida (casca do ovo).

MUCO HOSTIL: Muco cervical que impede o progresso natural do esperma através do canal cervical.

ÚTERO HOSPEDEIRO (também chamada de mãe gestacional substituta): O embrião de um casal é transferido para outra mulher que leva a gravidez até o fim e devolve o bebê aos pais genéticos imediatamente após o nascimento.

GONADOTROPINA CORIÔNICA HUMANA (HCG): O hormônio produzido no início da gravidez que mantém o corpo lúteo produzindo progesterona. Também usado por injeção para desencadear a ovulação após alguns tratamentos de fertilidade e usado em homens para estimular a produção de testosterona.

HIPERPROLACTINEMIA: Níveis excessivos de hormônio prolactina que podem afetar a fertilidade.

HIPERESTIMULAÇÃO (Síndrome de Hiperestimulação Ovariana, OHSS): Uma reação às gonadotrofinas na qual os ovários de uma mulher aumentam de tamanho e produzem uma superabundância de óvulos. Os níveis de hormônios no sangue aumentam, o líquido pode se acumular nos pulmões ou na cavidade abdominal e os cistos nos ovários podem se romper, causando sangramento interno. Às vezes, coágulos sanguíneos se desenvolvem. Os sintomas incluem ganho de peso súbito e dor abdominal. Ciclos estimulados com gonadotrofinas devem ser cuidadosamente monitorados com ultrassonografia para minimizar a ocorrência de OHSS.

HISTEROSALPINGOGRAMA (HSG): Um raio-x dos órgãos pélvicos em que um corante radiopaco é injetado através do colo do útero no útero e nas trompas de falópio. Este teste verifica se há malformações do útero e bloqueio das trompas de falópio.

HISTEROSCOPIA: Um procedimento no qual o médico verifica anormalidades uterinas inserindo um dispositivo de fibra óptica. Pequenos reparos cirúrgicos podem ser executados durante o procedimento.

COLO DO ÚTERO INCOMPETENTE: O colo do útero se abre prematuramente durante a gravidez e pode causar a perda do feto. A cerclagem cervical é um procedimento no qual um ou dois pontos são colocados ao redor do colo do útero para impedir sua abertura até que seja removido quando a gravidez estiver a termo.

CICLO INICIADO: A medicação de fertilidade é iniciada para estimular os ovários a produzir muitos folículos contendo óvulos.

INJEÇÃO INTRACITOPLASMÁTICA DE ESPERMA (ICSI): Injeção microscópica de um espermatozóide no citoplasma de cada oócito maduro para facilitar a fertilização.

INSEMINAÇÃO INTRAUTERINA (IIU): Um procedimento pelo qual o esperma lavado é colocado na cavidade uterina por meio de um pequeno cateter.

FERTILIZAÇÃO IN VITRO (FIV): Ovos e espermatozóides são colocados juntos em uma placa de Petri para facilitar a fertilização.

LAPAROSCOPIA: Exame da região pélvica usando um pequeno telescópio chamado laparoscópio.

FASE LÚTEA: Fase pós-ovulatória do ciclo da mulher. O corpo lúteo produz progesterona, que faz com que o revestimento uterino engrosse para suportar a implantação e o crescimento de um embrião.

DEFEITO DA FASE LÚTEA (ou Deficiência; LPD): Função inadequada do corpo lúteo que pode impedir que um óvulo fertilizado se implante no útero ou pode levar à perda precoce da gravidez.

SÍNDROME DE FOLÍCULO NÃO RUPTURA LUTEINIZADO (LUFS): Falha de um folículo em liberar o óvulo, mesmo que um corpo lúteo tenha se formado.

HORMÔNIO LUTEINIZANTE (LH): O hormônio pituitário que causa a fabricação de hormônios sexuais. O aumento súbito de LH causa a ovulação.

SURTO DE HORMÔNIO LUTEINIZANTE (Surto de LH): A liberação do hormônio luteinizante (LH) que causa a liberação de um óvulo maduro do folículo. Os kits de teste de ovulação detectam o aumento repentino de LH, sinalizando que a ovulação está prestes a ocorrer (geralmente dentro de 24 a 36 horas).

ASPIRAÇÃO DE ESPERMA DE EPIDÍDIMO MICROSCIRÚRGICA (MESA): Processo usado para recuperar o esperma de homens se o problema for um bloqueio ou ausência do ducto deferente.

MORFOLOGIA: Uma descrição da forma e tamanho do esperma. Quanto menor a porcentagem de espermatozoides normais, menor a probabilidade de ocorrer a fertilização.

MOTILIDADE: A capacidade do esperma de nadar. Motilidade fraca significa que o esperma tem dificuldade em nadar em direção ao seu destino, o óvulo.

OLIGOMENORREIA: Períodos menstruais pouco frequentes.

OLIGOZOOSPERMIA: Baixa contagem de esperma.

RECUPERAÇÃO DE OÓCITOS: Os oócitos (óvulos) são aspirados dos folículos ovarianos usando um pequeno procedimento cirúrgico.

DOENÇA INFLAMATÓRIA PÉLVICA (DIP): Uma infecção de qualquer um dos órgãos pélvicos que, se não for tratada, pode resultar em infertilidade.

DIAGNÓSTICO GENÉTICO PRÉ-IMPLANTAÇÃO (PGD): Perfil genético de embriões antes da implantação para identificar embriões com condições genéticas que podem levar a doenças.

TRIAGEM GENÉTICA PRÉ-IMPLANTAÇÃO (PGS): Testes feitos antes da implantação, para condições anatômicas, fisiológicas ou genéticas.

SÍNDROME DOS OVÁRIOS POLICÍSTICOS (SOP ou “Síndrome de Stein-Leventhal”): Condição encontrada em mulheres que não ovulam, caracterizada pela produção excessiva de andrógenos (hormônios sexuais masculinos) e pela presença de cistos nos ovários. Embora a SOP possa não apresentar sintomas, alguns sintomas podem incluir ganho excessivo de peso, acne e/ou crescimento excessivo de pelos.

TESTE PÓS-COITAL (PCT): Um exame do muco cervical da mulher realizado entre duas e doze horas após a relação sexual. Determina o número de espermatozóides e se eles são capazes de nadar dentro do muco.

PROGESTERONA: Hormônio produzido pelo corpo lúteo durante a segunda metade do ciclo da mulher. Ele engrossa o revestimento do útero para prepará-lo para aceitar a implantação de um óvulo fertilizado.

PROLACTINA: O hormônio que estimula a produção de leite em mulheres que amamentam. Níveis excessivos de prolactina quando não está amamentando pode resultar em infertilidade.

INFERTILIDADE SECUNDÁRIA: A incapacidade de um casal que já conseguiu pelo menos uma gravidez conseguir outra. A definição médica estrita inclui casais para os quais a gravidez não foi até o fim. O vernáculo comum, no entanto, refere-se a um casal que tem um filho biológico, mas é incapaz de conceber outro.

ÚTERO SEPTADO: Anormalidade na qual o útero é dividido por um pedaço de tecido.

SONOGRAMA (ultrassom): Uso de ondas sonoras de alta frequência para criar uma imagem das partes internas do corpo. Usado para detectar e contar o crescimento folicular (e desaparecimento) em muitos tratamentos de fertilidade. Também usado para detectar e monitorar a gravidez.

BANCO DE ESPERMA: Local onde os espermatozoides são mantidos congelados em nitrogênio líquido para posterior utilização em inseminação artificial.

CONTAGEM DE ESPERMA: O número de espermatozoides na ejaculação. Também chamada de concentração de esperma e dada como o número de esperma por mililitro.

SUPEROVULAÇÃO: Estimulação de ovulação múltipla com drogas de fertilidade; também conhecida como hiperestimulação ovariana controlada (COH).

ADVOGADO DE SUB-ROGAÇÃO: é um especialista, qualificado em barriga de aluguel e direito reprodutivo, requisitos para tratamento de barriga de aluguel em diferentes países, lei de adoção e obtenção de cidadania/passaporte para bebê de aluguel.

AGÊNCIA DE SUBSTITUIÇÃO: Uma empresa que fornece serviços de barriga de aluguel para casais inférteis, incluindo tratamento médico de infertilidade, barriga de aluguel recrutamento, cuidados com a gravidez, assistência durante o parto na Maternidade e assistência jurídica durante todo o processo.

MADRASTA: Uma mãe que é inseminada artificialmente e carrega um bebê que será criado por seu pai genético e seu parceiro.

EXTRAÇÃO DE ESPERMA TESTICULAR (TESE): Processo usado para recuperar o esperma de um homem que produz apenas alguns espermatozoides nos testículos.

TESTOSTERONA: O principal hormônio sexual masculino.

GLÂNDULA TIREÓIDE: A glândula endócrina na frente do pescoço que produz hormônios da tireoide para regular o metabolismo do corpo.

ULTRASSOM (Sonograma): Uso de ondas sonoras de alta frequência para criar uma imagem de partes internas do corpo. Usado para detectar e contar o crescimento (e desaparecimento) de folículos em muitos tratamentos de fertilidade. Também usado para detectar e monitorar a gravidez.

ÚTERO UNICORNUADO: Uma anormalidade na qual o útero é unilateral e menor do que o normal.

VARICOCELE: Uma veia varicosa no testículo, frequentemente associada à infertilidade masculina.

VITRIFICAÇÃO: Um processo de criopreservação que a maioria dos centros de fertilização in vitro emprega para congelar embriões.

ZIGOTO: Um óvulo fertilizado que ainda não se dividiu.

pt_BRPortuguês do Brasil
× Como posso ajudar o senhor?